Por falar de Educação Ambiental

Falamos muito de reciclar e não poluir. Mas será que as pessoas ouvem estes nossos apelos? Será que as pessoas tomam atenção ao que está a acontecer no mundo, em relação à crise climática?

Em primeiro lugar, sobre a erradicação do plástico. Estávamos a evoluir para a sua eliminação e, quando começou a pandemia, tudo o que foi dito, conquistado, desapareceu, voltou-se a ver um maior consumo de plástico.

Não me refiro só ao plástico, refiro me também à falta de civismo do ser humano, no que diz respeito ao lixo como máscaras o principal, lixo que se vê na rua, e o lixo muitas vezes das embalagens de comida dos «fastfood».

Apesar da crise pandémica que vivemos, a crise climática não desapareceu. Os comportamentos menos corretos que possamos ter agora vão se refletir mais à frente.

A poluição do plástico e de outras matérias poluentes nos oceanos leva à destruição progressiva dos ecossistemas. É um problema que temos em cima da mesa. A minha geração é a última a ter a oportunidade de resolver ou reverter a geração de problemas tão nefastos para o planeta e para nós. Mas, para resolver este problema é precisa uma grande campanha para sensibilizar toda a gente para esta temática, de não poluição da via pública, da não contaminação de águas, da temática da reutilização, entre outras.

A destruição massiva de habitats naturais, como por exemplo na Amazónia, traz problemas nefastos para o mundo inteiro, como a perda do maior pulmão do mundo e de a extinção de muitas espécies.

Ninguém pode ficar indiferente a esta causa, pois não é apenas mais uma luta. É uma luta nossa e das futuras gerações pela sobrevivência do planeta. Temos nas mãos um problema cuja resolução depende de nós, a começar com pequenos atos, localmente, transformando-se em grandes atos globalmente.

Esta é uma luta que tem de ser de todos. Mais do que nunca, nós temos de no unir e fazer retardar os efeitos da destruição, e tomar as medidas certas, como a preservação do meio ambiente.

Com este apontamento, quero sensibilizar para esta temática jovens adultos, como eu. Reflitam no vosso papel enquanto seres humanos, lembrem-se grandes mudanças começam com pequenos atos.

Para deixarmos um planeta saudável para as próximas gerações, temos de enfrentar grandes interesses económicos e acabar de vez com o capitalismo, porque é ele que está a destruir o planeta.

Não há Planeta B, o futuro do planeta está nas mãos de cada um!

Deixe um comentário