Mitigação das alterações climáticas exige medidas radicais

A temperatura do planeta Terra já se encontra 1,2°C acima dos níveis pré-industriais. Se as emissões de gases de efeito de estufa continuarem a aumentar, o mundo poderá assistir a uma duplicação dos valores de dióxido de carbono nos próximos 60 a 80 anos.

A revelação resulta de um estudo elaborado ao longo de 4 anos por um painel de cientistas internacionais e conduzido pelo Programa Mundial de Pesquisa Climática.

Estas previsões apontam para o cenário mais grave admitido por anteriores projeções anteriores, sobre a evolução do clima

Mais concretamente, segundo, Steven Sherwood, coordenador do estudo e professor na Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália, citado pelo The Guardian “Os dados apontam para uma provável faixa de aquecimento entre 2,6°C e 3,9°C” (…) “Estes são os números que realmente revelam o quão mau será o aquecimento global”, acrescenta.

O Acordo de Paris, assinado no âmbito da ONU, fixa em 2º C o aumento máximo da temperatura relativamente aos níveis pré-industriais. Qualquer aquecimento acima desse valor já constituirá um risco incomportável para a humanidade.

Se, entretanto, não ocorrerem alterações radicais na economia global, o intervalo apontado  — mais 2,6°C a 3,9° — significará uma catástrofe.

1 comentário em “Mitigação das alterações climáticas exige medidas radicais”

  1. Já todos sabemos que há estudos, previsões, modelos teóricos, receios, manifestações, medições, fotografias de satélite, expedições árticas, antárticas, voltas ao mundo em veleiro, negacionistas, desflorestadores, países que condenam mas compram a madeira e a carne à custa do desmatamento e até se fazem acordos faz-de-conta entre países aparentemente sérios.
    Agora, no imediato, podemos fazer concretamente o quê para travar e inverter este rumo a que o capitalismo (ia a escrever ‘desenfreado’, mas é um pleonasmo…) nos conduziu?
    Punir os EUA? Apear o Trump, o Putin, o Macron e os restantes líderes dos países que rebentaram atóis com ensaios nucleares e esgotam o petróleo e o gás de xisto onde quer que existam?
    Boicotar todas as empresas e países que poluem? Acabar com todas as petrolíferas do mundo e extinguir os milhões de postos de trabalho que delas dependem?
    Mas nem sequer conseguimos controlar de forma realista as taxas de carbono!
    Nem se consegue fazer cumprir as metas do Acordo de Paris!
    Vamos dar lições de moral e impedir a Índia, a China ou países africanos de se desenvolverem com recurso a combustíveis fósseis, porque o ‘ocidente’ já se está a servir há um século queimando-os à tripa-forra?! É justo?
    Ou então vamos pagar-lhes para que usem somente energias renováveis?
    A sério?!
    Precisaríamos de acções concretas (para já ou para ontem), mas que sejam viáveis e eficazes, mas sinceramente não as vejo.
    Alguém se vai sair com alguma?

Deixe um comentário