Ana Paula Canotilho – a lutadora que nos deixa

Ana Paula Canotilho, 58 anos, professora, investigadora, artista plástica, dirigente sindical, feminista, militante do BE,  faleceu esta madrugada, em Maputo, onde estava a trabalhar no âmbito de um programa de cooperação com a Escola Portuguesa de Moçambique.

A notícia apanhou de surpresa familiares, amigos e camaradas que reconheciam na Paula uma mulher de grande sensibilidade social, profundamente solidária, afetuosa e uma lutadora incansável pelas causas que sempre abraçou.

Era professora de artes visuais. A sua atividade estendia-se à pintura, com várias exposições individuais e coletivas. A sua atitude interrogativa levou-a para a investigação científica, no Centro Interdisciplinar de Estudos de Género, do ISCSP, com várias publicações sobre o sujeito político feminista.

Dirigente da UMAR, foi uma ativista feminista empenhada, com trabalho em projetos de prevenção da violência de género nas escolas. Assumia com enorme dedicação as lutas da sua classe profissional. Era membro da direção do Sindicato de Professores do Norte (SPN) e do Conselho Nacional da CGTP-IN.

No seu percurso como mulher de esquerda foi dirigente da UDP, integrou a Mesa Nacional do Bloco de Esquerda, a Comissão Coordenadora Distrital do Porto e encabeçou listas autárquicas em Gondomar. Foi uma das impulsionadoras do site Via Esquerda e sua colaboradora ativa.

Ana Paula Canotilho foi uma lutadora incansável pela igualdade, contra todas as discriminações, pela justiça social, pela democracia, por mudanças sociais e pelo socialismo.  Via Esquerda apresenta profundas condolências à família e a todas as pessoas amigas da Ana Paula Canotilho.

 

 

2 comentários em “Ana Paula Canotilho – a lutadora que nos deixa”

  1. Sinceros pêsames à Família e Amigos. Tive oportunidade de usufruir da alegria que era o seu convívio social, admirar a sua pintura e criatividade com as nossas tradicionais capulanas e a sua enorme solidariedade para e com Moçambique.

Deixe um comentário