Programa autárquico

Acreditamos no futuro da nossa cidade. Acreditamos que o Entroncamento poderá vir a ser uma cidade amiga, ordenada e segura. Uma cidade culta e criativa.

Queremos para o nosso concelho pleno emprego e desenvolvimento, num quadro ambientalmente sustentável.

Acreditamos numa cidade democrática, participativa e aberta aos jovens. Numa cidade inclusiva e solidária com os mais fracos. A nossa visão é a de uma cidade aberta à região e ao país, aproveitando todas as vantagens da cooperação

Para que tal aconteça é preciso abrir um novo ciclo na gestão autárquica. É preciso mudar e acreditar na mudança.

É o que lhe propomos.

 

Acreditar numa cidade amiga: ordenada e segura

  • Defender a preservação do património histórico, nomeadamente dos bairros ferroviários e da Escola Camões.
  • Defender a modernização da Estação da CP.
  • Defender o policiamento de proximidade, como forma de aumentar a segurança.
  • Rever o Plano Director Municipal: queremos uma cidade mais agradável, descongestionada e funcional. .
  • Elaborar planos de pormenor, para áreas críticas do crescimento da cidade.
  • Promover a construção da circular de viação rápida, pelo lado nascente, para criar alternativas à circulação pelo centro da cidade.
  • Baixar as taxas municipais para obras de recuperação de imóveis degradados.
  • Requalificar o Bairro Frederico Ulrich.
  • Ampliar a rede de saneamento, resolvendo constrangimentos.
  • Melhorar a oferta dos TURE, mantendo o baixo preço do transporte.

 

Acreditar numa cidade culta e criativa

  • Promover a construção de uma nova Biblioteca Municipal.
  • Requalificar o Cineteatro S. João, com novos espaços, novas valências e consumos culturais.
  • Prosseguir o processo de instalação do Museu Nacional Ferroviário.
  • Apoiar os criadores e as associações locais, envolvendo-os diretamente na programação cultural.
  • Incentivar a criação de novos públicos com uma programação regular e diversificada.

 

Acreditar numa a cidade sustentável

  • Manter na esfera pública os serviços de água, saneamento e recolha de resíduos.
  • Criar uma “Carta Verde”, assegurando uma rede de espaços verdes intersticiais no tecido urbano.
  • Defender a Reserva Ecológica Nacional e a Reserva Agrícola Nacional, contra o alargamento do perímetro urbano.
  • Limpar, despoluir e regularizar a Ribeira de St.ª Catarina.
  • Alargar a rede de ciclovias e de vias pedonais.
  • Promover a utilização regular e em segurança da bicicleta, como modo económico e ambientalmente sustentável de transporte quotidiano.
  • Prosseguir e ampliar o projeto de “hortas municipais”.
  • Alargar a rede de implantação de ecopontos e promover ações de sensibilização para a separação de resíduos.
  • Promover a adesão do município à rede de “cidades saudáveis”.
  • Realizar auditorias energéticas aos edifícios municipais, com vista à redução dos consumos.
  • Promover o acesso alargado à internet em banda larga, privilegiando as zonas de lazer, espaços verdes e parques da cidade.

Acreditar numa cidade desenvolvida e de pleno emprego

  • Requalificar o Mercado Municipal.
  • Reformular a tabela de taxas, com adopção definitiva da isenção de taxas sobre publicidade fixa, para as pequenas empresas.
  • Alargar o período de estacionamento gratuito no Parque da Praça Salgueiro Maia.
  • Proteger os pequenos negócios, com adopção de uma taxa progressiva na derrama.
  • Apoiar o comércio tradicional, com novas acções promocionais, alargadas a diversas zonas da cidade.
  • Promover a Zona Industrial com vista à fixação de novas empresas, numa atitude proactiva de captação de investimento.
  • Defender o sector produtivo ferroviário e a manutenção de postos de trabalho na Manutenção Militar.

 

Acreditar numa cidade inclusiva e solidária

 

Acreditar numa cidade democrática, participativa e aberta aos jovens

  • Promover a construção de uma Casa de Juventude.
  • Promover a execução de Orçamentos Participativos.
  • Promover o referendo local, em questões estratégicas para o futuro do concelho.
  • Criar a figura do Provedor Municipal.
  • Divulgar as decisões dos órgãos autárquicos, com ampla difusão no site municipal, nos MUPIS e na comunicação social do concelho.
  • Revitalizar o espaço urbano, democratizando-o para os usos da comunidade e elegendo-o como espaço privilegiado de intervenção cívica.

 

Acreditar numa cidade aberta à região e ao país

  • Defender o fim das portagens na A23.
  • Defender a regionalização, com regiões dotadas de órgãos democrática e directamente eleitos.
  • Cooperar com os concelhos vizinhos nos domínios da cultura, transportes, desporto e utilização de equipamentos colectivos.
  • Elaborar Planos Intermunicipais para o Casal Sentista e Vale da Ribeira da Ponte da Pedra, em colaboração com as autarquias de Torres Novas e Vila Nova da Barquinha.
  • Defender a criação de um Parque de Negócios na Zona Central do Médio Tejo.
Top